sábado, 6 de abril de 2013


PROJETO DE LEITURA: SACOLA LITERÁRIA














“Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro”
(Henry David Thoreau)





Escola Estadual  “ Professora Therezina da Fonseca Pares
2013








APRESENTAÇÃO

Consideramos que a leitura, se caracteriza como um instrumento do processo de construção de conhecimento, de apreensão da realidade, de possibilidade de ler o mundo e de formação do cidadão. A partir da leitura temos a condição de compreender o mundo, o outro, as trajetórias de vida e construir ferramentas para intervir e transformar a realidade.
O Projeto de leitura, denominado Sacola Literária, será desenvolvido na Escola Estadual Professora Therezina da Fonseca Pares, no ano letivo de 2013 por todos os profissionais que atuam na escola, pelos alunos e pelos pais e responsáveis dos alunos.
Para execução do projeto foi preparado uma sacola, a Sacola Literária, onde serão colocados materiais de leituras de diferentes gêneros textuais, tais como: jornalísticos, informativos, narrativos, história em quadrinhos, epistolares.
Esses materiais passam três dias no lar de cada envolvido, para que a leitura seja realizada de forma individual e coletiva. Junto com o material da sacola está o “DIÁRIO DE BORDO” (Caderno de Registro) para que cada leitor coloque suas impressões acerca  do projeto ou da leitura.
A atividade de registro dos pais deve ser, preferencialmente, a escrita, as crianças podem registrar as impressões sobre o momento da leitura, ou o que este significou, através de desenhos. Os pais e as crianças podem também registrar essa experiência através de fotos, que serão expostas em um mural, no final do ano letivo e no dia da III Feira cultural da unidade Escolar.









JUSTIFICATIVA

“Pegar um livro e abrí-lo guarda a possibilidade do fato estético. O que são as palavras dormindo num livro? O que são esses símbolos mortos? Nada, absolutamente. O que é livro se não o abrimos? Simplesmente um cubo de papel e couro, com folhas; mas se o lemos acontece algo especial creio que muda a cada vez” (Jorge Luís Borges, 1899-1986, escritor, poeta e ensaísta argentino)

A justificativa para o desenvolvimento do projeto de leitura: Sacola Literária, além de apresentar a fundamentação teórica sobre a importância da leitura para a formação de leitores competentes, traz a narrativa dos caminhos  e movimentos, realizados para a elaboração desse projeto.
 Esse projeto justifica-se em primeiro lugar pelas exigências, em nossa sociedade, com relação à formação de leitores competentes, possibilitando que a leitura seja uma ferramenta para a construção da criticidade, autonomia e discernimento.  E em segundo lugar pela importância de se desenvolver o hábito e o prazer pela leitura, no ambiente familiar.
Parafraseando as ideias do escritor Jorge Luís Borges (1899-1986), a respeito da visão do ato de ler, iniciamos a apresentação desse Projeto de leitura, denominado Sacola Literária, afirmando que o ato de ler vai além da ação de juntar palavras, ou da decifração das mesmas. Ler é uma prática social, que nos permite construir significados e atribuir sentidos.
O ato de ler, nesta perspectiva, ganha uma nova dimensão, onde ler possibilita o pensar e o interagir a partir do lido, dando um novo significado aos processos de ensinar e aprender. 
A leitura deve ser concebida como um momento especial, no qual temos inúmeras possibilidades, tais como: construir estratégias de leitura, adquirir informações, conhecer outros mundos, culturas e realidades, obter prazer, construir sentidos a respeito do que se lê, ampliar a visão de mundo.
No entanto, para que a leitura seja um momento especial e realizado com prazer, é necessário que outros leitores nos auxiliem e nos introduzam nesse mundo de magia.
É mediante as interações e tendo outros leitores como referência que a criança adquire competências leitoras. Lajolo (2003) enfatiza a importância das mediações na formação dos sujeitos leitores, argumentando que as crianças se relacionam com outras crianças e adultos ligados afetivamente e intelectualmente aos livros e que esses sujeitos iniciam outros no mundo da leitura.
Esse projeto de leitura não é uma idéia original, aliás, nada é original, se tomarmos como princípio o fato de que a partir da leitura, das experiências e vivências, temos a possibilidade de criação e re-criação.
Quando nos propomos a discutir, no ambiente escolar, sobre leitura, literatura e diferentes gêneros textuais, inevitavelmente refletimos sobre a função social da leitura, o papel da escola, o papel do professor e o aluno que se pretende formar.
A visão de aluno, defendida aqui, é de um sujeito protagonista, em seu processo histórico e em sua aprendizagem, um sujeito crítico, criativo, que tenha uma postura crítica sobre o mundo e que  reflita sobre a sua realidade,  que atue na mesma e a transforme.
Para Soares (1995), a função primordial da escola seria:

A função primordial da escola seria, para grande parte dos educadores, propiciar aos alunos caminhos para que eles aprendam, de forma consciente e consistente, os mecanismos de apropriação de conhecimentos. Assim como a de possibilitar que os alunos atuem, criticamente em seu espaço social. (Soares, 1995, p.73)

Complementando as ideias de Soares (1995), a respeito da função da escola, é importante enfatizarmos que o  cenário atual traz algumas exigências a respeito do professor, sobre a formação de seus alunos:  é importante que o educador não só compreenda o contexto do mundo contemporâneo, como também se preocupe em possibilitar uma formação que garanta aos alunos o desenvolvimento da autonomia e criticidade.
Ainda em outra pesquisa Soares (2003), afirma que , nos dias de hoje, em que as sociedades do mundo inteiro estão cada vez mais centradas na escrita, ser alfabetizado, isto é, saber ler e escrever, tem se revelado condição insuficiente para responder adequadamente às demandas contemporâneas.
Diante das exigências é preciso que os sujeitos sejam formados para irem além da simples aquisição do código escrito, é preciso fazermos uso da leitura e da escrita no cotidiano, apropriando-se da função social dessas duas práticas; é preciso letrar-se.
Emprestamos de Paulo Freire (1990, p. 15), um pensamento que reflete sobre a importância do ato de ler: Na medida, porém, em que me fui tornando íntimo do meu mundo, em que melhor o percebia e o entendia na “leitura” que dele ia fazendo, os meus temores iam diminuindo.
Compreendemos que a leitura é uma das competências a serem desenvolvidas pela educação, ao longo do processo de escolarização, compreendendo os diferentes níveis de ensino. (Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Superior) Logo, a formação leitora dos sujeitos é um processo gradual que os acompanha por toda a vida. Fora dos muros escolares há vida e há leitura.
Na visão de Cropani (1998), a leitura desempenha um  importante papel no desenvolvimento social, econômico e político da nação, o autor defende a idéia de que não existe nação desenvolvida que não seja uma nação de leitores.
Na leitura dos Parâmetros Curriculares Nacionais (1997),  encontramos a recomendação de que o ensino da Língua Portuguesa, deve voltar-se para a função social da leitura como requisito básico para que o indivíduo ingresse no mundo letrado e possa construir seu processo de cidadania. 
Maia e Masini (1988) criticam o conceito de leitura que temos como prática mecânica de aprendizagem. Argumentam sobre o fato de termos uma escola que se arvora no direito de formar os leitores dessa sociedade, sem que a mesma seja considerada dentro do ambiente escolar.
Esta é a perspectiva desse projeto de leitura, o qual dimensiona o papel da escola como um espaço de transformação, sendo consciente de seu papel social e político.
Concluindo, a despeito do que foi exposto para justificar o desenvolvimento desse projeto que: a leitura, dentro de sua função social, é uma prática de construção de sentidos, de significados e de interação, que a escola deve repensar suas práticas de leitura a fim de trazer para o seu cotidiano, situações reais de leitura e não meramente didáticas.
OBJETIVOS E CONTEÚDOS
De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, para o ensino da Língua Portuguesa (1997), e com a Proposta Curricular de Língua Portuguesa para o Ensino Fundamental,  os objetivos e conteúdos para este projeto de leitura são:


Objetivos:  

·         Reconhecer na leitura a possibilidade de contribuição para a formação do sujeito leitor capaz de discernir, participar historicamente de sua realidade, intervir e construir vários significados a respeito de suas leituras.
·         Valorizar a leitura enquanto instrumento importante no processo de produção do conhecimento.
·         Desenvolver o hábito e prazer pela leitura.
·         Estimular o hábito da leitura dentro do ambiente familiar.
·         Estender o hábito e o prazer  de ler para toda comunidade


Conteúdos:  (conceituais, procedimentais e atitudinais)
·   Leitura;
·   Escrita;
·   Apreciação por textos literários e não literários;
·  Participação de situações orais;
· Seleção de diferentes fontes e gêneros textuais para buscar informações e de acordo com os propósitos de cada leitura.
·  Hábito de leitura;
· Estratégias de leitura ( antecipação, inferência e verificação)
· Ler por si mesmo e com a ajuda de outros;



ETAPAS

·         Elaboração do projeto de leitura;
·         Apresentação do projeto para os profissionais da unidade escolar;
·         Apresentação do projeto às crianças;
·         Apresentação do projeto para os pais e responsáveis. através de comunicado escrito.(caderno)
·         Execução do projeto com a circulação da sacola durante o ano letivo.
·         Leitura, realizada pelo professor, dos registros feitos pelos pais ou responsáveis. (a cada troca de sacola o professor lerá o registro feito pelo alunos para a sala a fim de socialização.)
·         Leitura em ATPC pelos coordenadores dos registros feitos pelos profissionais da escola.
·         Entrega de certificado para cada família, participante do projeto.
·         Apresentação do produto final aos profissionais da escola.
·         Apresentação do produto final aos alunos em sala de aula.
·         Apresentação do produto final aos pais em reunião de pais.
·         Confecção do Mural de fotos com os momentos de leitura em família e de algumas situações de leitura na escola.
·         Agradecimentos á todos que auxiliaram na execução do projeto.












PRODUTO FINAL


Como produto final, nesse projeto de leitura teremos os registros que serão feitos nos cadernos, contidos em cada sacola. Esses registros serão feitos pelos profissionais que atuam na escola e pelos pais e responsáveis dos alunos.
As crianças deverão registrar as impressões do momento da leitura através de desenhos.
Alem dos registros escritos os profissionais da escola poderão contribuir com o registro fotográfico, o qual será enviado a escola através do correio eletrônico. As fotos serão expostas também como produto final na III Feira Cultural e no blog da escola.



















REFERÊNCIAS  BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL, Ministério da educação. Secretaria da educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: 1ª a 4ª série. Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1997.
CROPANI, Ottaviano De Fiori di. Livro, biblioteca e leitura no Brasil. Disponível em: http://mine.gov.br. Acessado em 12/05/2011.
MASINI, Lúcia Hage & MAIA, Suzana Magalhães. A leitura enquanto prática social e a intervenção da escola. São Paulo: FDE, p.73-76, 1988. (Série Idéias n.5.)
FREIRE, Paulo. A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. 22ª ed. São Paulo: Cortez, 1990.
SOARES, Magda. Linguagem e escola: uma perspectiva social. São Paulo: Ática, 1995.
___________. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. 26ª Reunião Anual da ANPED – GT Alfabetização, Leitura e Escrita. Poços de Caldas, 7 de outubro de 2003.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário